>

Seriáticos Vlog #6!

Assista ao vlog com o review da segunda temporada de Game of Thrones!

>

Entrevista exclusiva!

O Seriáticos entrevistou José Roberto Torero, roteirista da nova série de(fdp) a nova série da HBO

Novo promo de Supernatural!

Assista ao primeiro promo da oitava temporada de Supernatural!

>

10 séries mais vistas da última Fall Season

Descubra quais são as 10 séries mais vistas no momento!

>

Efeitos especiais em cenas que você nem imagina!

Descubra como e onde é usado o Chroma Key!

Review – True Blood 7x06: Karma


“Maybe you deserve it...this little thing called karma...”.

Nos aproximamos, lentamente, do final: do final de Eric, de Bill, de Amber (irmã da Sarah Newlin). Não...essa quase.

Karma não rendeu tanto quanto poderia, mas a temporada está assim, desde o primeiro episódio.

Tivemos alguns pontos altos: a reação de Jessica ao saber que Bill está infectado pela Hepatite – V. A garota resolveu contar com Sookie, o que nos levou à descoberta de que a protagonista, também, está infectada  (parece que a intenção dos roteiristas é a de infectar todo o elenco, para fazermos uma aposta sobre quem chegará vivo ao final do 7º ano).

Além disso, surgiu a solução para a doença vampírica: Sarah Newlin. A vilã, na verdade, é a chave para pôr o fim nessa epidemia. Após toda a bagunça no centro de tratamento do falecido Burrell, Newlin deu um passo à frente e bebeu todo o antídoto, tornando-o a portadora humana da cura.

Se o antídoto foi criado uma vez, certamente, criarão de novo, afinal, segundo a própria Sarah, a corporação criou o remédio e, como bem vimos, os japoneses estão bem ativos, especialmente, quando o assunto é caçar Noomi (Sarah Newlin) por aí.

Sam que, nos episódios anteriores, parecia estar quase à frente da salvação de Bon Temps, em Karma ficou em terceiro plano, tendo pouquíssima importância, apareceu quase como uma citação, apenas, para ilustrar a loucura que a cidade está vivendo. Algo que, sequer, foi ele que fez, foi Nicole.

E Jason ficou no mesmo ritmo que o prefeito de Bon Temps, perdendo alguns bons momentos para ficar imerso em um triângulo amoroso e o consolo para Sookie e Jess.

Por fim, voltamos a Bill, que ao tentar mudar seu testamento e não conseguir, foi extorquido e matou a advogada e o escudeiro dela. Atitude exagerada de quem, há poucos meses, era o deus dos vampiros.

Entramos na viagem eterna de Lettie Mae e Laffayette. Tudo para passarmos por um momento com Tara (que, convenhamos, não nos agradava muito quando estava viva, apenas, acho errado que ela tenha morrido. Ainda mais, da maneira como morreu). E paramos em Violet e seu pensamento vingativo (falta de autocontrole).

Temos, ainda, alguns episódios e muitas histórias que precisam de um ponto final. A esperança é que isso aconteça e dê um final digno à série.

Review – Pretty Little Liars 5x05 / 5x06: Miss Me x 100 / Run, Ali, Run


Não é qualquer série que chega aos 100 episódios (não é impossível, mas uma série sobreviver por 100 episódios significa algumas coisas).

Mas, para pretty little liars, isso parece banalidade, afinal, um número que tantas séries comemoram, PLL passou quase despercebido. Talvez, eles achem que um episódio bem feito é colocar Aria e Ezra juntos, Emily e Alison juntas, Caleb de volta. Não, não é. Seria diferente se marcasse de alguma forma e não foi isso o que ocorreu.

Não vamos dizer que Miss me x 100 e Run, Ali, Run não tiveram nada, afinal tivemos algumas (poucas) descobertas, mas que valem ser citadas.

A grande super descoberta foi a de quem está no caixão que deveria ser de Alison. Agora, temos um nome: Bethany Young. No meio de todo o “quem deve ser essa garota?”, também, descobrimos que, de certa forma, ela tem uma ligação com a Sra. DiLaurentis (ou seria ex Sra. Dilaurentis?). Claro, sobre isso, ainda não sabemos muito, mas acredito que acabará se desenrolando sem muito mistério. Eddie, de Radley, estar ajudando pode ser considerada alguma novidade.

A parceria entre Mona, Lucas e Melissa não nos surpreende em nada. Quando Mona estava em seu clubinho a la “Os Batutinhas” já sabíamos da presença dos dois. Aliás, só conseguimos saber sobre eles e Paige, esta que se revoltou depois e resolveu virar as costas (não é à toa que ela recebeu um rato morto, de brinde, em seu armário).


Caleb voltar à Rosewood, também, não é uma grande surpresa. Ele não poderia desaparecer pra sempre. Parece que não, mas, até em pretty little liars, as histórias tem que ter um fim, um ponto final.

Temos de volta a detetive, que mal significa alguma coisa, já que 58525625864886 investigações são feitas e nada é descoberto. A polícia de Rosewood é extremamente incompetente.

É meio difícil saber quando um plot de pretty little liars acaba, pois sempre há uma forma de ressurgir. Jenna é um grande exemplo. Pra mim, ela tinha ido embora e bye,bye, mas ela voltou, fazendo par de vasos com a novata da natação (que eu não lembro o nome) para tentar acabar, de vez, com Alison.

Sem querer reclamar do roteiro inteiro, mas tem muito furo por aí. O fato é que, acredito, que todos já estejam se cansando de tantas voltas e, tenho certeza, de que já disse isso algumas vezes por aqui. A grande pergunta é: até quando vamos terminar episódios com uma pessoa encapuzada, fazendo alguma coisa que tenta nos prender ao próximo episódio? Está difícil acompanhar, mas continuarei tentando, pelo menos, até o final dessa temporada.

Review – True Blood 7x04 / 7x05: Death is not the End / Lost Cause


“Ginger, olhe para você e olhe para mim...quem tem bom gosto?”

Estávamos em um flashback de Pam e Eric e, em death is not the end, conhecemos o momento em que eles conheceram Ginger – que nos deu momentos de risadas – e a ideia que deu origem ao Fangtasia, o bar que, no fundo, todos gostaríamos de conhecer.

Acompanhamos, de camarote, a mini guerra entre os vampiros infectados e os não infectados – e Eric no meio de tudo – e, nesse momento, tivemos certeza que, ainda, não sabemos quem é o grande vilão da temporada, se é que teremos um. Será que tudo voltará à Sarah Newlin? Aquela que já estava nos “assombrando” desde a Sociedade do Sol? Ou será que, dessa vez, o vilão será a máfia Yakuza?

Tudo em true blood lembra saudade. A ligação que Jason fez a Hoyt, a visão que Arlene teve de Terry, a conversa entre Pam e Eric, Sookie e Bill. Até entendo que a série esteja nos dizendo que essa é a hora de nos despedirmos. E é mesmo. Temos que nos despedir com calma, sem correria, como se estivéssemos apreciando cada  momento.

Admito que eu esperava muito mais da briga entre os vampiros. Achei uma coisa boba, meio banal, o jeito como foi mostrado, como se fosse uma briga de colégio entre menininhos brigando por uma garota. Alguns confrontos entre Eric e Bill, ao longo das temporadas, conseguiu prender mais a minha atenção.

Alcide está morto, todos aqueles que estavam contra os vampiros (bobagem que resultou na morte da mãe de Hoyt) estão mortos, o ex candidato a prefeito está morto, Tara está morta. Enfim, muita gente morreu em 5 episódios, true blood, nessa temporada, fez uma chacina muito cedo.


Quando entramos em Lost Cause, saímos um pouco do passado de Eric e Pam e entramos na história de Bill Compton. Já sabíamos, mais ou menos, a história dele, a transformação e etc., mas dessa vez, vimos como era a vida dele antes de tudo, antes mesmo de pensar em se alistar para ir à guerra. Tirando o fato de que Bill se transformou em um vampiro, não temos muitas mudanças nele...parece que Bill vai, sempre, ser o mesmo Bill.

Quanto à Jessica e Jason, estava muito óbvio sobre os dois. Jason não daria certo com Violet, assim como Jess não daria certo com James (desde que virou o vampiro de Larafyette, já tínhamos uma dúvida sobre a preferência de James).

E tudo termina em festa. Parece, de certa forma, uma falta de respeito com todos os mortos. Como Sookie bem disse, a morte é para ser triste, é para ser sentida. Aparentemente, os habitantes de Bon Temps não pensam dessa forma.

Enquanto Sookie e Cia faziam uma festa, Eric e Pam estavam atrás de Sarah Newlin e não foi tão difícil encontrá-la, depois que Willa disse que Sarah tem uma irmã vampira. Se não fosse pela raiva guardada de Eric, Sarah não sairia vivia de lost cause.

Bill está infectado. Muito arriscado colocar os dois principais vampiros doentes, correndo risco de morte. Será que uma cura para a hepatite V está sendo preparada para ser apresentada a Eric e Bill?

Sons of Anarchy: Teaser da Nova Temporada


Setembro, ainda, não chegou e a última temporada de Sons of Anarchy, por enquanto, não se despede.

A série ganhou um teaser, com exatos 20 segundos, que só nos lembra de que entraremos na temporada final, sem nos dar qualquer dica sobre o futuro das personagens.

Sons of Anarchy tem sua estreia prevista para setembro.

Review – True Bloood 7x03: Fire In The Hole


Muitos “boas vindas” para distribuir: boas vindas à Sarah Newlin (não importa se ele é faz parte dos mocinhos ou vilões, voltou), a Eric Northman (apareceu bem pouquinho no outro episódio) e à Pam (apareceu em todos os episódios, mas só agora teve alguma coisa importante a fazer).

Estamos começando a melhorar, o que é um ótimo sinal para True Blood, já que os dois primeiros episódios foram, no mínimo, decepcionantes.

Ainda não sabemos qual é, afinal, o plot com essa doença, mas temos um novo “inimigo”: corporação Yokonomo. A conhecemos em um grande flashback entre Pam e Eric, logo no início do episódio, onde somos levados à década de 80, quando Eric está todo apaixonado por Sylvie e é interrompido pela Autoridade (sim, a Autoridade, também, apareceu de novo). Só no final do episódio, descobrimos que Yokonomo matou Sylvie por...nada. A empresa que estava desenvolvendo o Tru Blood só não queria ser contrariada por um vampiro qualquer – mesmo que esse vampiro fosse Northman.

Enquanto Pam e Eric relembram histórias, o presente nos mostra o plano de Sookie – e Bill – que, quase, não deu certo. Ela, apenas, queria atrair os vampiros infectados, para descobrir onde era o esconderijo deles. Pena que eles foram um pouco mais espertos e já sabiam que ela estava acompanhada do Sr. Compton. Aliás, algo a se pensar é a repentina chegada de todos ao local onde Sookie e Bill estavam, já que Bill diz ter coberto todos os rastros e Alcide fortalece isso quando diz que perdeu o rastro de Sookie na casa de Bill. Uma hora, os infectados estavam derrubando Bill de uma árvore e, um segundo depois, aparecem Jason, Violet, Jess (que levou um tiro), Alcide, Bellefleur e Sam. Sem mais nem menos. No meio de tudo isso, todos os doentes acabam morrendo (não que precisasse de muito esforço, afinal, lembremos que Betty, a ex professora, morreu quando sugava o sangue de Arlene) e Alcide leva alguns tiros de um dos moradores rebeldes de Bon Temps. Eu não gosto de Alcide, nunca fui muito com a cara dele, acho ele meio chato, mas, agora que conseguiu o que tanto queria – Sookie – não é justo que ele morra dessa forma.

Saindo do núcleo de True Blood, vamos para a população de Bon Temps, já que todo mundo resolveu ser contra Sam, Sookie, os vampiros e quem ou o que for diferente deles (dá pra encontrar muita gente assim, ainda, por aí nas ruas). Ainda não tenho uma teoria formada sobre essa multidão que acha que tudo vai se resolver porque eles estão com armas e estacas. Sem inteligência, não serve nada. Prova disso foi a atitude de Violet ao matar a mãe de Hoyt...a multidão estava tão concentrada e dizendo que sabia fazer isso e aquilo e bastou um movimento de uma vampira para que todos sumissem.

O que, também, não deu pra entender, por enquanto, é a procura dos japoneses por Sarah Newlin. No que mais ela poderia ajudar? A – quase – exterminar os vampiros? Provavelmente, Yokonomo é o responsável por essa doença que se espalhou entre os vampiros, agora, só temos que acompanhar para sabermos qual será o desenrolar de tudo.

True Blood, ainda, tem chance de fazer uma grande temporada e se despedir com estilo.

Doctor Who: Teaser da 8ª Temporada


“I see into your soul, doctor...”, com essa narração começamos o teaser da nova temporada de Doctor Who.

O vídeo conta com menos de 20 segundos, porém, é tempo suficiente para ficarmos ansiosos com a chegada do Senhor do Tempo.

Doctor Who tem seu retorno previsto para 23 de agosto.

Review – True Blood 7x02: I Found You


Uma pausa de Bon Temps para conhecermos Saint Alice, a cidade fantasma, a cidade atacada por um bando de vampiro que, hoje, ocupa o Fangtasia, antigo lar de Eric e Pam.

Mas, ainda, sinto como se fosse uma coisa incompleta. True Blood não parece ter a melhor temporada, – ou chegar perto da melhor temporada.

No season premiere, tivemos como vilão o ex candidato a prefeito, que juntou algumas pessoas descontentes com tudo e decidiu que estava na hora de acabar com os vampiros, porque, na cabeça deles, isso é muito simples de se fazer. Em I found you, de repente, a cidade toda virou vilã. Que algumas pessoas não conseguiam suportar os vampiros, já sabíamos, que grande parte, os desejava mortos, já sabíamos. Mas como sobreviver em uma cidade que é atacada por vários vampiros doentes, sem a proteção de outros vampiros?

Nisso, apenas, Sookie e Cia pensaram e, por isso, foram atrás de respostas de uma cidade que não mais existe.

Foi um episódio de poucos acontecimentos: descobrimos a cidade que os vampiros atacaram, a população de Bon Temps se revoltou, foi até a delegacia e conseguiu pegar todas as armas, Bill quase não apareceu (e, quando apareceu, foi, apenas, para nos mostrar que, de qualquer modo, ele continuará sendo o guarda costas de Sookie) e, a melhor das melhores descobertas, Eric está vivo.

Depois de tanto tempo procurando por seu maker, Pam, finalmente, chegou a Eric e constatou que o super vampiro de 1000 anos está vivo e infectado. Não sabemos que vírus é essa que transforma todos os vampiros, os deixa doentes, levando-os, facilmente, à morte (lembrem-se da cena que Betty, a ex professora, morre sugando o sangue de Arlene), mas a doença é o principal motivo dessa matança toda feita pelos infectados.

Tara precisou morrer, para que a mãe percebesse tudo o que não fez certo.

True Blood não costuma ter muitos episódios (12, no máximo) e o meu medo é que a série passe seu ano todo, assim, sem nada para acontecer, como se todas as histórias já tivessem sido contadas e não tivesse sobrado nada. Não sei se falar de uma doença vampírica será o suficiente.

Review – Pretty Little Liars 5x03 / 5x04: Surfing the Aftershocks / Thrown from the Ride


Difícil dizer se as coisas não aconteciam quando Alison estava desaparecida ou agora que ela voltou de vez.

Nos 3º e 4º episódios dessa nova temporada, tivemos o mesmo do mesmo. As mesmas suspeitas, as mesmas pessoas, as mesmas coisas que todo mundo, na verdade, já sabia (se não sabia, já imaginava). Acredito que esteja na hora de mudar – especialmente, agora, que Ali está aí descaradamente.

Essa coisa toda de “meu pai matou a sra. DiLaurentis” já está passada. Afinal de contas, qual é o verdadeiro lance da família Hastings com a DiLaurentis? Um caso? Isso não é motivo para que Jessica DiLaurentis odiasse tanto Spencer, a ponto de querer acusá-la de homicídio – sabendo que a garota não tem nada a ver com isso. E aí, surge a teoria de “se ela quer entregar minha filha à polícia, vou matá-la”. Assassinato é uma coisa tão banal assim, que pode ser jogada essa teoria, assim, a qualquer momento?

Também com assassinato, temos Aria Montgomery e toda sua culpa por matar Shana. Até agora, não me conformo com a morte da garota, foi muito fácil. Mas, de qualquer modo, até quando vamos ficar nessa coisa chata de culpa? Matou, matou e, já que isso se tornou tão comum – especialmente em Pretty Little Liars – ela não deveria se mostrar tão preocupada.


Pulando de Aria para Hanna, a garota que resolveu fazer A mudança e, na verdade, não mudou muita coisa. Mas tentou. Hanna tentou, começou pelo cabelo e voltou a roubar lojas, o que ela fazia lá no início da série e se tornou a melhor das melhores amigas de Alison. Parece que Hanna é a única que está do lado da outra loira, que acha que ela, realmente, merece uma chance de voltar a viver em Rosewood.

E Alison, a mesma Alison...parece que Alison vive cercada de mentiras, cercada de invenções, de coisas que, na cabeça dela, acabam fazendo sentido, mas não fazem algum. É um mundo que ela pode controlar com tudo o que acaba inventando e isso é contado tantas vezes, que, querendo ou não, vira uma verdade.

E nos resta Emily, que agora ganhou uma fã e, sem perceber, despertou o ciúmes de Paige. Emily, antes, parecia tão próxima a Ali e, agora, parece só estar ali por estar.

Sim, a temporada está só começando e, ainda, não sabemos o que esperar, mas as dicas referentes à enrolação e ao “mistério” continuam.

O próximo episódio é o 100º. Será que vem coisa boa por aí?