>

Seriáticos Vlog #6!

Assista ao vlog com o review da segunda temporada de Game of Thrones!

>

Entrevista exclusiva!

O Seriáticos entrevistou José Roberto Torero, roteirista da nova série de(fdp) a nova série da HBO

Novo promo de Supernatural!

Assista ao primeiro promo da oitava temporada de Supernatural!

>

10 séries mais vistas da última Fall Season

Descubra quais são as 10 séries mais vistas no momento!

>

Efeitos especiais em cenas que você nem imagina!

Descubra como e onde é usado o Chroma Key!

Finale de How I Met Your Mother


[CONTÉM SPOILER]

Review – Bones 9x16: The Source In The Sludge


Não me levem a mal, eu adoro Bones, sou apaixonada pelos episódios, mas, temos que reconhecer que está na hora da série dar um adeus, um ponto final.

Por alguns instantes,  The Source in  the Sludge me fazia lembrar de Homeland (toda aquela coisa de Abu Nazir e blablabla), por tratarem, exatamente, de um terrorista afegão que estava tentando vingança e um militar que acabou passando pro lado de lá.

O caso foi, até, bem simples: Sari, uma informante afegã que foi levada aos EUA é assassinada e todas as pistas indicam ao super terrorista Ibrahim – que todos acreditavam estar morto (e, no fim, realmente, estava) – mas, ainda, poderiam suspeitar de 1265266, inclusive, o já conhecido agente da CIA, Danny.

Depois de passar por alguns suspeitos – outros, nem tanto – e por perguntas e perguntas e, claro, passarmos pelo drama da Daisy, que foi reprovado na tese de seu doutorado – na verdade, isso trouxe um lado bom, afinal descobrimos que, mesmo Temperance, com toda aquela inteligência, foi reprovada, claro, que não pelos motivos que imaginávamos, mas, ainda assim... – chegamos ao culpado: um ex militar, que era o “carcereiro” de Ibrahim, mas, claro, por motivos econômicos acabou apoiando o terrorista.

Tudo isso para, no final, darmos de cara com a disputa que temos em todas as séries criminais: a quem pertence o caso. Nessa situação, o ex militar acabou saindo ileso e com uma recompensa de alguns milhões, para entregar toda a rede de contatos de Ibrahim, o que não durou muito tempo, já que, depois de tudo – inclusive, depois de passar os contatos – ele acabou em um tribunal militar.

Todo esse episódio, regado a algumas discussões entre Booth e Bones, que, como sempre, foram resolvidas.

Seria mentira dizer que foi um episódio ruim, porque não foi, ele só está na média, aceitável.

Review – Pretty Little Liars 4x20 / 4x21: Free Fall / She’s Come Undone


Por um momento, achei que diria que os últimos episódios da série estão aí, que as meninas teriam aberto os olhos e descoberto tudo, maaas...as coisas não são tão fáceis assim.

Começamos com uma Spencer, completamente, perdida, desmaiada na sala de aula, com pijama, tudo por conta de seu vício. Logo, descobrimos que isso já tinha ocorrido antes e, admito, cheguei a pensar que os documentos entregues por Ezra poderiam ser falsificados – em vista de tudo o que tem acontecido, isso seria bem possível – mas, ao contrário, não só era real, como, pelo jeito, foi um caso, relativamente, sério.

As garotas foram tão cuidadosas para contarem à Aria sobre Fitz e, no fim, a informação foi, simplesmente, jogada, do nada. Apesar da inicial negação, não demorou muito para que Aria descobrisse o envolvimento de Ezra em diversas situações que as meninas se encontraram...dessa vez, o erro veio do tão prevenido professor que deixou passar mais do que deveria, fazendo com que a garota descobrisse de uma vez por todas que o relacionamento inteiro não passava de nada (uma fonte de conhecimento, digamos assim) e, com isso, tivemos algumas descobertas, entre elas, o livro de Ezra que foi aceito – e que ele jura que é sobre Alison e seu desaparecimento –, a manutenção de vários diários com várias informações sobre as liars, entre outras coisas. Além disso, pela primeira vez, vimos Aria, realmente com raiva, a garota acabou com o apartamento do ex e, depois (e, antes, também) entrou em, basicamente, uma bolha de isolamento.


Saindo de Aria e falando um pouco sobre Emily, que tem seu arco voltado a ajudar Ali. Depois de alguns episódios, Shana resolve ligar, sem mais nem menos, pedindo que Emily mande dinheiro para Alison (seria bem mais fácil, simples e, claro, rápido se ela tivesse feito isso, exatamente, no dia em que sumiu). Mas, Shana não foi a única a ter o seu retorno, Paige, também, resolveu devolver a cara, após um pequeno sumiço, apenas para dizer à Emily que se afaste de Alison e, como vimos, no final, contar à polícia sobre a sobrevivência de Ali. Emily, de certa forma, perdeu, completamente, qualquer identidade na série, parece que todas as histórias dela estão, na verdade, vinculadas a outras pessoas.

Cada uma das meninas tem suas própria histórias: Spencer é viciada, Hanna tem Travis – e Holbrook –, Aria tem seu relacionamento com Ezra e, agora, sua depressão, mas Emily só tem Alison, que, na verdade, é ligada a todas.

Os episódios não foram, totalmente, ruins, mas, também, não foram excelentes. Levando em consideração o nível em que a temporada está, podemos listá-los como alguns dos melhores.

Primeiras Impressões: Believe


A criação é de Alfonso Cuarón e Mark Friedman e tem, em sua produção executiva, J.J. Abrams.

Believe conta a história de Bo, uma garotinha com dons – um tanto – sobrenaturais, que vão desde levitação até a previsão do futuro. O piloto começa nos apresentando um forjado acidente de carro, onde temos Bo e seus pais adotivos. Logo, conhecemos uma das pessoas que desejam raptar a menina para fins lucrativos.

Seguido do acidente, somos levados ao hospital, onde conhecemos Terry, o médico que cuida de Bo após o ocorrido, e à prisão, que nos apresenta Tate – que, no final do episódio, descobrimos que é o pai de Bo – e Winter, um dos mocinhos – ex parceiro do chefe da organização que quer raptar a menina, Skouras.

Assim, começamos a acompanhar a história da menina que, por 10 anos, foi protegida dos “vilões”, mas que, agora, com suas habilidades ganhando força, ela acaba em uma nova aventura com Tate.

A história pode parece confusa contada assim, porém tudo é perfeitamente desenrolado.

Talvez, por ter nomes tão fortes – Alfonso Cuarón ganhou, este ano, o Oscar de melhor diretor pelo filme Gravidade –, esperava que o piloto fosse um pouco. Não, o episódio não foi ruim, só não excedeu nada. Foi uma ótima apresentação da série, mas, ainda, tenho minhas dúvidas se ele não poderia ter sido feito melhor – a dúvida não é quanto à qualidade da série, porque, seguindo a linha que começou, a produção será uma das melhores de 2014.

Believe começou muito bem, o episódio foi ótimo e as críticas, em sua maioria, são boas. A série está mais do que aprovada para ser levada adiante.

A série tem sua estreia, no Brasil, dia 19/03, próxima quarta feira, na Warner.

Raising Hope Cancelada


Depois de 4 temporadas, a família Chance terá sua despedida, em um especial, no mês de abril.

O episódio irá ao ar no dia 04 de abril e será duplo, gerando uma hora de uma das melhores sitcoms da FOX.

Mike Mariano, produtor executivo, fez um comunicado, onde agradece ao elenco, produção e, claro, aos fãs, dizendo que o último episódio da 4ª temporada foi planejado como series finale.

Os episódios serão How I Met Your Mullet e The Father Daughter Dance, ambos contando com participações especiais.

Raising Hope estreou em 2010 e conta a história da família Chance. Uma família completamente disfuncional, que começa pela vida de Jimmy ao engravidar uma serial killer.

Review – Grey’s Anatomy 10x13: Take It Back


Demorou tanto para voltar e, talvez, esse tenha sido um dos melhores da temporada, já que, a primeira parte deste décimo ano foi uma das mais “sem sal”.

Quanto à Avery e April já imaginávamos o final dos dois, estava muito óbvio que ficariam juntos, porém, talvez, o fato deles terem se casado seja, quase, uma surpresa. Eu esperava um namoro e não um casamento. De qualquer forma, só soubemos disso no final do episódio, depois de passarmos 40 minutos ouvindo que eles estavam errados, que – mesmo com a melhor das intenções – seria bom eles não ficarem juntos.

E, ainda em casamento, vemos, novamente, a montanha russa que se tornou o relacionamento de Arizona e Callie. Elas sempre arranjam uma desculpa para se entenderem depois de um tempo brigadas, mas, agora, além de voltarem, dão um passo maior que, provavelmente, não conseguirão segurar. De alguma forma, elas voltam-se às brigas e desentendimentos antes mesmo de conseguirem colocar tudo a limpo.

Quanto à Bailey e ao Bem, acredito que alguma coisa ficou, simplesmente, jogada, a começar pelo TOC que a cirurgiã perdeu rapidamente ou, talvez, só tenha mudado sua obsessão. De repente, Miranda Bailey passou de esposa para mãe de Ben, o que, sinto muito dizer, enfraquece muito a personagem, que, sinceramente, já perdeu sua identidade há um tempo (assim como boa parte da série).

Pelo menos, um plot foi fechado. Jimmy voltou e morreu, terminando, dessa forma, com aquela ladainha do Alex sobre seu pai. Se Jimmy não tivesse morrido teríamos mais e mais episódios de “meu pai não me ama...ele bebia muito e abandonou minha família”.

Em compensação, toda essa coisa entre Hunt e Ross já ficou chata em um único episódio, que, de uma forma ou de outra, foi um dos motivos para a nova política de não relacionamentos entre os funcionários do hospital...depois de tantos anos...

É claro que Grey’s é muito diferente do que estávamos acostumados, mas, por enquanto, conseguimos segurar os episódios.

Bates Motel: Novo Promo da Segunda Temporada


A segunda temporada de Bates Motel começará na próxima semana, dia 03 de março, nos Estados Unidos.

O A&E divulgou um novo vídeo para deixar os fãs mais ansiosos com a volta de Norma e Norman Bates.

São 60 segundos que nos interrogam sobre “quem é Norman Bates?”, além de palavras chaves feitas à série por alguns meios de comunicação.

Review – Revenge 3x13: Hatred


Indo de acontecimento a acontecimento, seria difícil não admitir que esse episódio de Revenge me deixou , por um tempo, pensando no que viria, ou melhor, no que virá no próximo.

Há poucos episódios, Sara odiava Daniel, ela chegava ao ponto de não querer vê-lo ou atendê-lo na pequena confeitaria em que trabalhava. Ok, entendemos que eles tem uma história, que Daniel tentou reconquistar a garota, mas foi um tempo muito curto para despertar todo esse amor, que os dois tanto juram. Essa história dos dois, no fundo, parece ser, apenas, algo a mais para tentar provocar Emily Thorne e só.

Partindo desse amor entre os dois, encontramos uma Emily que, parece, estar voltando com toda a força, especialmente, ao recorrer à mãe de Sara para tentar separá-la do mini Grayson. Golpezinho que mostrou que Thorne está ali, exatamente, para continuar com sua vingança e que, por isso, recorrerá a qualquer recurso. Isso tudo até Daniel resolver jogar na cara de Thorne a infertilidade, o que foi a gota d’água para que a vingadora tivesse seus sentimentos alterados. Tão alterados que aqueles blackouts ficaram sem explicação: não entendi se as imagens com Conrad são reais ou fazem parte da imaginação de Emily, não entendi se eles, realmente, transaram – como sugere a fala de Conrad – ou não.

Mudando de personagens, entramos na história de Victoria e Jimmy Brennan, o pai de Patrick, que, até então, não tínhamos ouvido falar. Todo mundo sabe que a vulnerabilidade de Victoria resume-se aos filhos e,agora, a Brennan e seu estupro. Toda vez, escutamos o que a Sra. Grayson diz e, no episódio seguinte, descobrimos que ela era só mais uma farsa para conseguir algo. Talvez, dessa vez, seja real.

Margaux é outra personagem que demonstra a mesma determinação que Emily Thorne, desde a demissão de Daniel, causada por Conrad, até assumir o seu romance com Jack. Mas, ainda assim, ela parece estar na série por nada. Talvez, para causar algumas intrigas e irritar uma pessoa ou outra, mas, parece que sua real posição em Revenge é ficar ao lado de Jack, para que o dono do bar não perca seu lugar na série.

E, terminamos, então, com Niko, que já estava pronto a voar para Moscou, a fim de perseguir o assassino de seu pai, até achar a katana de Takeda embaixo da cama de Aiden. Talvez, agora, Niko consiga enxergar o motivo da relutância de Aiden.

E, ainda, temos a chegada da primeira mulher de Conrad.

Revenge começou com uma boa história. Infelizmente, com o passar das temporadas, tudo acaba parecendo esperado, batido. Parece que Emily Thorne está perdendo a força de seus fãs, porque não nos surpreendemos tanto quanto antes.